quinta-feira, 19 de junho de 2014

O sofrimento


Was mich nicht umbringt, macht mich stärket.
Aquilo que não me mata, me fortalece.
O que seria da humanidade se não fosse o fato de termos sentimentos e sensações... pobres homens que amam, sofrem, são felizes, sofrem, tem família, sofrem, tem amigos, sofrem, são felizes, sofrem, fracassam, sofrem, superam, sofrem. É sofrem é uma carma do qual não estamos livres.

Nos últimos meses tenho percebido que um dos mais graciosos, cruel, deliciados e renovadores sentimentos é o sofrimento. Seria ele lado ruim do que é bom, ou um molde de régua para qualificarmos o bom e ruim?

Não sei como responder.

No entanto, sei que sofre se faz necessário para aprender a ser feliz, afinal como saberei o que é felicidade se não aconheço o seu oposto. Parece simples (e pode ser), mas como lhe dar com isso. Essa sensação de não, de fracasso, de desencaixe, de um cômodo que incomoda.

Como?

A dor é um caminho.

E nem tudo que nos faz sofrer e necessariamente ruim, assim, também, nem tudo que nos dá prazer é 
totalmente bom.

Considera o sofrimento algo ruim é questionável.

Caritas patiens est. 1 Cort. 13.4

Assista: Nietzsche e o sofrimento